Apelar para a consciência

Apelar para a consciência

Sabe aquele irmão que adora uma pegadinha? Pois é, o meu é mestre nisso. A última dele foi demais. Eu estava lá, tranquilão, pronto para devorar meu lanche, quando de repente dou de cara com um bilhete dentro do meu sanduíche. E o que estava escrito? “Apelar para a consciência.” Sério, irmão?

Confesso que fiquei intrigado. O que será que ele quis dizer com aquilo? Será que estava me dando uma lição sobre a importância de comer comida saudável? Ou será que era uma indireta sobre minha dieta de fast-food? Enfim, fiquei ali, encarando o bilhete como se fosse um enigma a ser decifrado.

Mas não deu outra, meu irmão surgiu do nada com aquele sorriso malicioso estampado no rosto. Ele me olhou e soltou uma risada tão alta que dava para ouvir lá na esquina. “E aí, irmãozinho, gostou do bilhetinho?”. E eu, comendo meu sanduíche com um misto de incredulidade e indignação, só consegui responder: “Você é um gênio do humor, só que ao contrário.”

Pois é, conviver com esse irmão é uma aventura atrás da outra. Nunca sabemos o que esperar. Mas uma coisa é certa: ele sempre consegue arrancar uma risada, mesmo que seja à minha custa. E no fim das contas, é isso que importa, não é mesmo? Ah, mas se ele aprontar de novo, juro que vou dar o troco à altura. Afinal, dois podem jogar esse jogo!

Subscribe
Notify of
guest
0 Comentários
Inline Feedbacks
View all comments
Rolar para cima